Jump to content

Quem Ganhou O Debate?


Revenge
 Share

The winner?  

31 members have voted

  1. 1.

    • Socrates
      7
    • Santana
      10
    • Empate
      2
    • Ninguém, o debate apenas serviu para ver a m**** em que o nosso paiz vai ficar!
      12


Recommended Posts

 

José Sócrates acusa o PSD de fazer uma campanha negativa e afirma que o país precisa de mudança para vencer o pessimismo. Santana Lopes garante que cumprirá o que promete e considera que a alternativa socialista é formada apenas pelas mesmas pessoas que abandonaram o governo em 2001. As questões da economia, do trabalho e das finanças públicas dominaram o frente-a-frente entre os líderes dos principais partidos, organizado pela SIC e o Clube de Jornalistas. Com tempo para o tema do aborto, casamentos homossexuais, co-incineração e a recente polémica em redor dos boatos e insultos pessoais.

O debate começou precisamente pelas insinuações sobre a vida privada que têm ocupado grande parte da pré-campanha. O secretário-geral do PS acusou Santana Lopes de ter proferido ”alusões absolutamente brejeiras” e lançado boatos contra si. Sócrates considerou também que os sociais-democratas estão a fazer uma ”campanha negra”, através, por exemplo, dos cartazes da JSD que usam uma fotografia sua. Trata-se de uma ”página negra” da história do PSD, disse.

“Campanha negra”

Na resposta, Pedro Santana Lopes defendeu os cartazes da “jota” e lembrou que os ataques desse tipo fazem parte de qualquer campanha, inclusive nos EUA. Garantiu também que não faz insinuações e que a sua referência a ”colos” num comício recente nada tinha a ver com a vida íntima do adversário. Aliás, o presidente do PSD entende que a intimidade não deve influenciar o voto. ”A vida privada deve contar para mostrar coerência nas propostas que se fazem para a vida dos outros”.

Impostos não aumentam

Entrando nas propostas eleitorais de ambos os partidos, José Sócrates mostrou-se contra uma descida do IRS, mas também se opôs ao aumento. Tal ”criaria condições para um arrefecimento ainda maior da economia”, quando, segundo o líder socialista, ”o caminho é o crescimento”.

De igual forma, Santana Lopes voltou a garantir que não aumentará os impostos. Se as condições o permitirem, o IRC poderá aumentar na segunda metade da legislatura. Contra as críticas de Sócrates face à ausência de um “choque fiscal” prometido ainda por Durão Barroso, o líder “laranja” disse que, apesar das reduções das taxas, verificou-se um aumento da receita fiscal.

Ainda em matéria de impostos, José Sócrates referiu que é necessário fazer ”muito mais no combate à fraude e evasão fiscal”, para além do sigilo bancário.

Luta contra a pobreza

Questionado sobre a viabilidade da sua promessa de dar uma prestação extraordinária a idosos em situação mais carenciada, Sócrates garantiu que o seu programa é claro e frisou que ”com o PS, o combate à pobreza vai ser uma prioridade”.

Santana Lopes disse que a proposta socialista é ”praticamente incomportável” e que a pobreza não é problema exclusivo dos idosos e que o Governo tem trabalhado mais nesse sentido. "Há um processo de aproximação das pensões ao salário mínimo".

Salários da Função Pública

Aumentos na função pública

O secretário-geral do PS mostrou-se contra o congelamento dos salários na Administração Pública, considerando-o ”injusto”. Sócrates promete aumentos, ”mas com moderação”, tendo em conta o estado das contas públicas.

Para reduzir o pessoal na Função Pública, sem despedimentos, José Sócrates pretende adoptar uma política de admissão de uma pessoa contra duas que entrem na reforma. ”É um bom contributo para a modernização” do sector, defendeu.

Por sua vez, Santana Lopes argumentou que o fundamental é aumentar a produtividade e consequentemente reduzir o peso da Administração Pública no PIB. Para o mesmo fim, assegurou medidas como centralizar as compras e racionalizar os custos no Estado e recorrer a outsourcing em alguns serviços.

Reformas mais tarde

PS e PSD têm posições com algumas semelhanças quanto à alteração da idade de entrada na reforma. Santana Lopes pretende que, no caso dos funcionários públicos com menos de 35 anos, a idade de reforma passe para os 65 anos de idade. Quanto aos que já têm mais de 35 anos, poderão optar. Quanto aos trabalhadores de empresas privadas, só deverão atingir a reforma aos 68 anos de idade.

Os socialistas também consideram que há um problema de sustentabilidade na Segurança Social, mas são mais cuidadosos: Sócrates defendeu que são necessários mais estudos antes de se tomarem medidas nesse sentido. Ainda assim, o PS quer pôr fim aos ”estímulos” às reformas antecipadas.

Prioridade ao emprego

José Sócrates sublinhou também que a intenção de criar 150 mil postos de trabalho em quatro anos não é uma promessa, mas antes um ”objectivo político”. Não será o Estado a criar empregos, contudo ”pode dar uma ajuda”, disse, através do crescimento económico e numa aposta na qualificação.

Em resposta às propostas do PS, que considerou ”medidas de engenharia de obras feitas”, Santana Lopes retorquiu que todo esse trabalho está a ser feito. A aposta do PSD vai para o financiamento, até 75 por cento, de estágios para os cerca de 74 mil jovens até aos 25 anos que estão desempregados.

Sócrates defende co-incineração

Contra as recentes medidas tomadas pelo ministro do Ambiente, Luís Nobre Guedes, na questão dos resíduos perigosos, Sócrates disse que ”o problema não foi resolvido” por completo. Além dos aterros, os resíduos orgânicos precisarão sempre de ser incinerados. O responsável pela pasta no governo de Guterres irá adoptar a co-incineração em cimenteiras, contra a exportação de resíduos para instalações semelhantes no estrangeiros.

”O eng. Sócrates, com obstinação, teima nesta questão da co-incineração”, respondeu Santana Lopes. Para o actual primeiro-ministro, o Governo de gestão tem legitimidade para ter fechado este processo.

Do aborto às questões “não prioritárias”

Sobre a Interrupção Voluntário da Gravidez (IVG), o PS promete um novo referendo. Sócrates não se quis comprometer com um calendário, ”mas quanto mais cedo melhor”, para ”combater o aborto clandestino” e ”a perseguição às mulheres”.

Para Santana Lopes, qualquer alteração à lei da IVG só será feita através de um referendo. Mas não será o PSD a propô-lo.

O líder social-democrata lançou outros temas como a eutanásia, a clonagem ou o casamento entre homossexuais. Questões que considerou ”complicadas” em que se pode ser dogmático.

Na réplica, Sócrates acusou Santana Lopes de fugir às questões que mais interessam e que esses temas da civilização ”não são temas da agenda política”, ainda.

Maioria absoluta

Sócrates pede maioria absoluta, Santana responde com medidas

José Sócrates voltou a afirmar que o objectivo do PS ”é ganhar com maioria absoluta”, para que ”haja estabilidade política” e ”servir melhor os portugueses”.

Já na sua declaração final, o secretário-geral “rosa” frisou que a sua agenda é ”a agenda da mudança” e que liderará um governo com ”sentido de Estado” e ”pessoas credíveis”. ”Estou aqui porque acredito em Portugal e porque acredito nos portugueses”, concluiu.

A última palavra coube a Santana Lopes. O líder do PSD não acredita que qualquer partido chegue a uma maioria absoluta. Por isso, ”cada partido tem que dizer com quem governa”.

Santana Lopes recordou o que disse António Guterres quando anunciou a sua demissão, em 2001, para garantir que não desistirá. Da mesma forma, considerou que os candidatos do PS são os mesmos que pertenceram ao anterior executivo socialista - ”é o mesmo grupo de pessoas que quer voltar dois anos depois”.

”Eu tenho um sonho para Portugal, que estou a concretizar (…) Contem comigo. Eu atrevo-me também a dizer que conto convosco”, disse, encerrando o debate.

O debate foi moderado por Rodrigo Guedes de Carvalho, Ricardo Costa, José Gomes Ferreira, da SIC, e por Maria Flor Pedroso, da Antena 1 (em representação do Clube dos Jornalistas)

Link to comment
Share on other sites

Oh @barao achas mm k o Satana vai ganhar estas eleições ?? :funny:

Eu sei k o povo portugues tem memoria curta mas assim tão curta n me parece... :blink:

O k me chatei-a mais é k quem vai ganhar isto vai ser o Socrates e entre um e outro venha o diabo e escolha <_<

Do pouco k vi do debate acho k n vieram dizer nada de novo... infelizmente :angry:

Link to comment
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
 Share

  • Recently Browsing   0 members

    • No registered users viewing this page.
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.