Jump to content
  • 1

Gira discos


Alexius

Question

Envergonho-me de assumir que apesar de gostar imenso de musica, nunca tive um gira discos. Estou a pensar em comprar um, mas as recomendações que tive de pessoal mais "old school" estão um pouco desfasadas do mercado actual.
Alguma recomendação para um noob? Pormenores a ter em conta ? Não precisa de ser topo de gama, algo até aos 200€ / 250€ penso ser suficiente.

Link to post
Share on other sites

Recommended Posts

  • 0

PIONEER PLX-500, além de ter saída USB (dá jeito para ripar aquele vinil mais raro), ligas isso a duas colunas pré-amplificadas e tens um óptimo equipamento de entrada. Daqui a uns anos, mudas para um prato Technics + amplificador + equalizador + 4 colunas ;)

  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
  • 0

Há muita coisa para dizer sobre isso. 

Primeiro, a não ser que entres pelos gira discos que já estão no patamar dos €250/300, não vale a pena comprar novo imo. Evita as Audio Technica LP-60, as Crosley e tudo o que se pareça com um gira discos dentro duma mala.

Há aí muita merda onde nem vale a pena meteres um disco a tocar. É essencial ter um contra-peso ajustável e anti skate (ajustável é preferível apesar de haver boas marcas que usam um sistema automático de anti skate que funciona bem).

Depois precisas dum amplificador com entrada Phono ou comprar um pré amplificador Phono à parte. Se tiveres essa parte resolvida, terás muito mais hipóteses de escolha. 

Ir pelo caminho vintage é, sem dúvida, o que te vai garantir melhor qualidade/preço. No entanto, pode sempre exigir manutenção (troca de correia, lubrificação dos pots etc). Ou fazes tu, caso sejas tech savvy são coisas relativamente simples, ou procuras gajos que o façam por ti que há muitos. Como o @cyberurbis mencionou, tens a Zero à Direita em Cascais por exemplo. Outra coisa certa caso vás pelo caminho vintage é a necessidade de comprar uma célula/agulha nova porque não fazes ideia de quantas horas a que vem com o gira discos tem em cima e não vais querer tocar discos com aquilo.

Posto isto, eu tenho uma Rega Planar 1. Tive um problema com ela que me chateou imenso e que, por alguma razão, se resolveu sozinho. O fio terra nas Rega não é à parte como na esmagadora maioria dos gira discos. Eles usam um método em que fazem a descarga pelo RCA do canal esquerdo. No meu caso, aquilo não funcionava perfeitamente. Encontrei uma solução meia marada (ty @p!p1tUh), mas, desde há uns meses para cá que o problema parece ter desaparecido mesmo. Tirando isso, a nível de som é incrível para o preço. A Rega é uma marca audiófila super respeitada, que faz gira discos incríveis. Este modelo é o base deles e, ainda assim, é espetacular a nível sonoro. Este ano lançaram uma versão com Phono preamp incorporado (Planar 1 Plus) que, caso não tenhas preamp, pode ser solução, apesar de estar acima do teu orçamento. 

Tem uma coisa em conta. Não sei que seriedade queres dar à coisa, mas não é um hobby barato. De todo. Adoro a minha coleção e todos os meses faço adições, perco horas a ler sobre diferentes pressings dos álbuns, a fazer manutenção, visitar lojas de discos, eBay/Discogs etc. Tudo depende do que vais querer fazer com isso. Podes ter meia dúzia de discos e pronto ou podes entrar pelo caminho mais sério da coisa que, é bom que saibas de antemão que não é barato. 

Edited by dastinger
  • Thanks 1
Link to post
Share on other sites
  • 0
1 minute ago, Stone said:

Cuidado com alguns gira discos que estão na moda mas que riscam mais do que tocam. Eu recebi um Audio-Technica AT-LP60  como prenda e estou super satisfeito :)

https://www.amazon.co.uk/dp/B00EUSMFPQ/ref=cm_sw_r_cp_apa_Z6UMBbBC7RN64

Não se enquadra nos Crosley desta vida, mas também não é o melhor que podes comprar 😛

Por esses valores, vintage sempre.

Link to post
Share on other sites
  • 0

@cyberurbis

$2600 por um gira discos que não vale nem soa a um sequer perto desse valor. E ainda estou para ver testes de jeito a isso para perceber até que ponto é que consegue alcançar e manter uma velocidade aproximada do esperado. O que o pessoal gasta por causa duma moda é impressionante.

Link to post
Share on other sites
  • 0
3 minutes ago, dastinger said:

@cyberurbis

$2600 por um gira discos que não vale nem soa a um sequer perto desse valor. E ainda estou para ver testes de jeito a isso para perceber até que ponto é que consegue alcançar e manter uma velocidade aproximada do esperado. O que o pessoal gasta por causa duma moda é impressionante.

Obviamente, que isto é um gira discos para geeks com bolsos bem recheados...

Mas não deixa de ter a sua graça! :-..

Link to post
Share on other sites
  • 0

Opá, não acho graça nenhuma. Um gira discos serve para ouvir música. Tu queres a melhor performance para ouvir música e é aí que termina. Obviamente gostas que também seja bonito, mas o ponto de venda principal não é flutuar, é soar bem. Qual é o objetivo de gastar dinheiro num gira discos que flutua? Não adiciona nada à sua utilização, estás a pagar uma batelada de dinheiro por uma gimmick que, possivelmente, até piora o som. 

Era o mesmo que comprares um carro de €100k e dizer "Epá, o carro é desconfortável e nem passa dos 100km/h, mas carago, não tem rodas, flutua!".

Não quero parecer um velho do Restelo, mas este género de coisa irritam-me :-..

Link to post
Share on other sites
  • 0
8 minutes ago, dastinger said:

Era o mesmo que comprares um carro de €100k e dizer "Epá, o carro é desconfortável e nem passa dos 100km/h, mas carago, não tem rodas, flutua!".:-..

O chamado barco... :P

  • Haha 1
Link to post
Share on other sites
  • 0

Eu tenho o mesmo gira discos há 48 anos lol... uma máquina ! Acoustic Research... na altura um dos melhores na relação qualidade preço, porque era o mais simples possível para o preço ser o menor possível (por exemplo para mudar de 33 para 45 tinha que se levantar o prato e mudar manualmente) a velocidade continua impecável e a correia é a mesma!!!! a cabeça é uma audio technica shibata dourada que na altura era o topo de gama e ja reproduzia quadriphonia.. o amplificador é um Dynaco que na altura ficava por um preço acessivel porque vinha dos EUA em kit e era montado pelo gajo que mais percebia de aparelhagens e electrónica de música cá em Portugal , mas já morreu, o Lemos. As colunas é que obrigatóriamente tiveram de evoluir (acho que foi onde houve a maior evolução na qualidade).

  • Like 3
Link to post
Share on other sites
  • 0

Vintage é do melhor que pode haver. Se esse Acoustic Research é o que estou a pensar, é lindo :wub:

A única coisa que acho que fazes mal é nunca ter mudado a agulha se esse é realmente o caso. Com certeza já puseste bem mais de 1000 horas nisso e uma troca de agulha (não célula) não só melhorava bastante o som como te poupava os discos. 

Quanto a ter de se levantar o prato para a mudança de velocidade, a minha Rega é exatamente igual :)

Edited by dastinger
Link to post
Share on other sites
  • 0
21 hours ago, dastinger said:

Vintage é do melhor que pode haver. Se esse Acoustic Research é o que estou a pensar, é lindo :wub:

A única coisa que acho que fazes mal é nunca ter mudado a agulha se esse é realmente o caso. Com certeza já puseste bem mais de 1000 horas nisso e uma troca de agulha (não célula) não só melhorava bastante o som como te poupava os discos. 

Quanto a ter de se levantar o prato para a mudança de velocidade, a minha Rega é exatamente igual :)

Tens razão em relação à agulha, às vezes controlo com uma lupa e não noto grande desgaste mas deves ter razão e já deve estar mesmo a precisar de uma nova. Tenho de ver o que há compatível com a cabeça. Não tenho a certeza absoluta sem desaparafusar mas acho que a cabeça é uma  AT15S (gold)

 

Edited by ruit
Link to post
Share on other sites
  • 0

@ruit

Se for uma AT15S não sei se te safas. É um modelo descontinuado e o máximo que encontrei foram células com a agulha Shibata com pouco uso, de acordo com a listing. Mas, no eBay, andam à volta dos €200+. 

Link to post
Share on other sites
  • 0
7 hours ago, dastinger said:

@ruit

Se for uma AT15S não sei se te safas. É um modelo descontinuado e o máximo que encontrei foram células com a agulha Shibata com pouco uso, de acordo com a listing. Mas, no eBay, andam à volta dos €200+. 

Era o que receava!

Link to post
Share on other sites
  • 0
1 hour ago, Worm said:

Usam vinil pela "experiencia" fisica da coisa ou preferem o som a CDs?

Para além de toda a beleza mecânica da coisa, o som é bastante superior. 

Qualquer música de CD é o equivalente a um ficheiro .wav

Uma música de Vinil, é o equivalente a uma .flac

 

Link to post
Share on other sites
  • 0
2 minutes ago, cyberurbis said:

Para além de toda a beleza mecânica da coisa, o som é bastante superior. 

Qualquer música de CD é o equivalente a um ficheiro .wav

Uma música de Vinil, é o equivalente a uma .flac

 

Sinceramente acredito que há uns anos fosse verdade, mas tendo ouvido os novos conversores R2R  diria que isso é passado.

Link to post
Share on other sites
  • 0

@Worm, eu vejo a música tal como os filmes. Tudo o que foi filmado em fita tem potencial para ser remasterizado em 4k e afins.

Por outro lado, tudo o que foi filmado em digital, tem sempre um limite. 

Na música é idêntico. 

Desconheço esses conversores, mas acho improvável melhorar algo que não está lá. 

Link to post
Share on other sites
  • 0
9 hours ago, cyberurbis said:

Para além de toda a beleza mecânica da coisa, o som é bastante superior. 

Qualquer música de CD é o equivalente a um ficheiro .wav

Uma música de Vinil, é o equivalente a uma .flac

 

Isso está completamente errado. 

Flac é flac. É digital. E flac é só um formato lossless. Pode ter fonte num CD, num SACD, num disco de vinyl (que perderia alguma das suas características já que nenhum conversor ATD é perfeito) ou vir diretamente dum master. 

E vinyl não é superior sonicamente. Para colocar as coisas duma forma bem simples: o formato que, naquele álbum em específico, tiver uma melhor masterização é aquele que vai soar melhor. Mais simples é impossível.

Vinyl, quanto muito, soa diferente. Melhor é subjetivo. Ruído em digital é nulo, o sinal é mais limpo. Parece que perde um pouco do "ar" que o vinyl traz. Chamo-lhe ar como podia chamar de "som quente" como todos gostam de dizer. Eu, em tempos, dizia o mesmo. Esse som quente não passa de ruído no sinal, de distorção. Podem dizer que adiciona à experiência, mas dizer que isso é melhor som não faz sentido.

Eu compro discos de vinyl pela parte física, a capa, segurar na minha música, o colecionismo e o facto de me "obrigar" a ouvir um álbum do início ao fim. Isso foi um fator muito importante para mim. Com o streaming e os FLAC isso perdeu-se e conseguir recuperar isso foi incrível.

Outra razão foi o facto de ouvir essencialmente música da época do vinyl e prefiro ouvir as coisas como elas foram inicialmente concebidas, apesar de nem sempre ser fácil encontrar edições que o permitam. E isso leva-me a outra questão que é a procura, o encontrar uma pechincha, ler sobre a história dum determinado álbum, sobre a masterização, os engenheiros por trás etc. 

Agora dizer que o som é superior não é verdade. Porque não é. Podem gostar mais, mas não pode ser considerado superior. 

EDIT: Esclareci um ponto.

Edited by dastinger
  • Like 3
Link to post
Share on other sites
  • 0

Voltando à conversa Vinil 180mg com gravações cuidadas é superior ao cd. Não tenho dúvidas. Não é superior HQ-4k (gravações atuais) e em relação ao SACD é uma questão de gosto.  Vejam no youtube por exemplo 

 

Edited by ruit
Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.