Jump to content
Spark

Deco lança petição online para pôr fim a comissões das contas à ordem

Recommended Posts

A Deco quer pôr fim às despesas de manutenção das contas à ordem, considerando-as “abusivas” e penalizadoras dos consumidores com “menos recursos”.

Com o propósito de pedir o fim dessas comissões, que desde 2007 subiram em média mais de 41%, a Deco lança hoje a recolha de assinaturas com vista à apresentação de uma petição na Assembleia da República.

A petição será realizada por via electrónica e vai decorrer até ao final do mês de Agosto. Apesar de ser necessário um mínimo de quatro mil assinaturas, a Deco pretende recolher o maior número possível de assinaturas, de forma a sensibilizar os deputados para a importância de colocar uma travão nestas despesas que, actualmente e em termos médios, ascende a 60 euros anuais, disse ao PÚBLICO Joaquim Rodrigues da Silva, jurista da Deco.

Em 2007, antes da crise começar, as comissões médias anuais situavam-se em 42 euros, valor que actualmente já está em 60 euros, adiantou o jurista, destacando que, “se nada for feito, podem rapidamente atingir os 120 euros”.

Joaquim Rodrigues da Silva relembra que ainda há poucos anos o saldo das contas à ordem eram remunerado pelos bancos. Em sentido inverso, o jurista destaca que, actualmente, os bancos cobram comissões de forma unilateral.

Destaca ainda que a estratégia dos bancos de isentar os clientes através da subscrição de alguns produtos financeiros, como as contas ordenado, não abrangem todos os clientes, e, em algumas situações, os consumidores precisam de ter mais de uma conta.

Na petição, a Deco sustenta que a cobrança de comissões nas contas à ordem é abusiva “porque o dinheiro depositado pelos consumidores não é um fardo para os bancos”. salienta ainda que, “na verdade, os bancos precisam destes fundos para se financiarem e gerarem mais dinheiro”, e que “assim que entram na conta do cliente, os fundos são aplicados e investidos em benefício dos seus fiéis depositários”.

A este propósito a Deco pergunta se ao suportar esta comissão, não estará o consumidor a pagar para emprestar dinheiro ao banco?

A associação questiona o facto de serem os clientes com menos património que pagam comissões mais elevadas que, em média, podem ser até “cinco vezes mais” face ao que é cobrado aos clientes com património elevado.

A associação destaca que com o aparecimento do homebanking, as tarefas que antes eram imputadas aos funcionários bancários - pagamentos, transferências, consultas de saldos e movimentos, por exemplo - passaram a ser realizadas pelos consumidores. Sem prestarem um serviço, os bancos nada deveriam poder cobrar pela simples detenção de uma conta à ordem.

Destaca ainda que “os clientes bancários já pagam a anuidade dos seus cartões, bem como pela requisição de cheques e por outros serviços associados às contas à ordem. Somar a estas despesas uma comissão de manutenção é cobrar duas vezes pelo mesmo serviço”.

A petição da Deco surge pouco tempo depois de um projecto do Partido Socialista, que pretendia limitar as comissões bancárias em geral e uniformizar as suas designações, ter sido travada na Assembleia da República. O falhanço da proposta do PS de limitar as comissões bancárias a custos efectivamente incorridos, não desmotiva a Deco, que defende, por esse motivo, que é importante que a petição recolha um número significativo de assinaturas.

Já leva mais de 13500 assinaturas, uma das quais é minha.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Têm 64 bancos registados a exercer a actividade em Portugal, não gostam mudem

Gostava de ver se o estado te quisesse impor por decreto os honorários que podes cobrar Punk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Têm 64 bancos registados a exercer a actividade em Portugal, não gostam mudem

Gostava de ver se o estado te quisesse impor por decreto os honorários que podes cobrar Punk

É de cagar a rir ver a tua reação a tudo o que meta bancos pá. É vergonhoso o que cobram de manutenção de contas.

Quanto ao que depois dizes, queres mesmo comparar uma profissão liberal com o sector bancário, fundamental no desenvolvimento do país e que tem mais é do que ser regulado de acordo com as necessidades do país?! Menos porkinha :P

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tem mais que ser regulado?

Então o estado deve dinheiro aos pontapés a bancos e quando é prestada uma simples garantia de pagamento (nem dinheiro foi emprestado, é bom que se tenha essa noção) é cobrado couro e cabelo, obriga-se a quotas mínimas de injeção de capital na economia, abre-se milhares de milhões de linhas de crédito com uma suposta garantia do estado e os bancos é que entram no capital,obriga-se os bancos a investir em dúvida pública para depois se protelar sem prazo, e querem regulação?

Para mim é simples, não gostam das comissões, mudem

E estas ações da deco São de cagar a rir, quantos de vocês aderiram à eletricidade?

Pois se calhar o interesse da deco é outro, a pergunta devia ser:

Depois de aderirem ao leilão da eletricidade, quantos de vocês já foram contatados para se tornarem sócios da deco? Lol

Já agora uma pergunta, de quem é a déco? Nunca se perguntaram isso? há prestação de contas? goza do estatuto de serviço público e não paga impostos apesar de vender e bem os seus serviços? tem lucros? Quem é o verdadeiro beneficiário efetivo?

Há uns tempos procurei isso no site, mas não vi, pode ser que alguém consiga ajudar

Share this post


Link to post
Share on other sites

1 - Pelo facto de concordar com a isenção das taxas não quer dizer que gosto da DECO, daí nunca ter sido associado daquilo.

2 - Os bancos são autênticas sangue sugas dos cidadãos a todos os níveis. Já me passaram pelas mãos inúmeros contratos bancários de mútuos/contas correntes caucionadas/etc em que as taxas de juros cobradas se fossem em civil eram consideradas usurários, mas como são os bancos tudo passa. A partir do momento que se autoriza que os bancos sejam instituições com o objectivo do lucro está tudo fdd.

Os bancos ganham rios e rios de dinheiro com o meu suor, o teu e o de todos os portugueses. Esse discurso de os bancos coitadinhos, não cola até pq muito do que hoje se está a passar é culpa indubitável do sistema bancário e do conluio que diversas instituições bancárias a nivel mundial tiveram e ainda mantém até aos dias de hoje.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agora vem o JR dizer:

Ah e tal os bancos não são cofres para guardar dinheiro. Tudo tem despesa.

A malta responde: Então toda a gente tira o dinheiro dos bancos e vocês trabalham com o vosso dinheiro.

Pronto, podem fechar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fdx pareces um camarada, nunca pensei honestamente, anyway a partir do momento que permites que o estado interfira diretamente com a relação de empresas privadas em situações que não afetem diretamente a estabilidade do país estás a abrir a porta a que interfira em qualquer negócio inclusive no teu, e olha que quem está de fora do teu negócio não terá uma opinião muito diferente da tua sobre os bancos, mas em relação à tua classe

É assim em tudo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agora vem o JR dizer:

Ah e tal os bancos não são cofres para guardar dinheiro. Tudo tem despesa.

A malta responde: Então toda a gente tira o dinheiro dos bancos e vocês trabalham com o vosso dinheiro.

Pronto, podem fechar.

Essa lógica seria totalmente válida se toda a gente na mesma altura liquidasse juntos dos bancos o que lhes devem, inclusive tu como cidadão e contribuinte na parte de pagador de impostos e parte interessada do estado

Ou julgas que a cintura rodoviária de Braga por exemplo nasceu por geração espontânea para passeares o cu de Alfa?

Tip toes over juros usurário issue...

Dude, essa é outra o pessoal assina os contratos depois vai-se queixar que não sabia

Mais valia terem-te consultado antes de assinar, não?

Share this post


Link to post
Share on other sites

1 - Pelo facto de concordar com a isenção das taxas não quer dizer que gosto da DECO, daí nunca ter sido associado daquilo.

2 - Os bancos são autênticas sangue sugas dos cidadãos a todos os níveis. Já me passaram pelas mãos inúmeros contratos bancários de mútuos/contas correntes caucionadas/etc em que as taxas de juros cobradas se fossem em civil eram consideradas usurários, mas como são os bancos tudo passa. A partir do momento que se autoriza que os bancos sejam instituições com o objectivo do lucro está tudo fdd.

Os bancos ganham rios e rios de dinheiro com o meu suor, o teu e o de todos os portugueses. Esse discurso de os bancos coitadinhos, não cola até pq muito do que hoje se está a passar é culpa indubitável do sistema bancário e do conluio que diversas instituições bancárias a nivel mundial tiveram e ainda mantém até aos dias de hoje.

Almoços grátis ?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agora vem o JR dizer:

Ah e tal os bancos não são cofres para guardar dinheiro. Tudo tem despesa.

A malta responde: Então toda a gente tira o dinheiro dos bancos e vocês trabalham com o vosso dinheiro.

Pronto, podem fechar.

Essa lógica seria totalmente válida se toda a gente na mesma altura liquidasse juntos dos bancos o que lhes devem, inclusive tu como cidadão e contribuinte na parte de pagador de impostos e parte interessada do estado

Ou julgas que a cintura rodoviária de Braga por exemplo nasceu por geração espontânea para passeares o cu de Alfa?

Tip toes over juros usurário issue...

Dude, essa é outra o pessoal assina os contratos depois vai-se queixar que não sabia

Mais valia terem-te consultado antes de assinar, não?

Não estás a perceber a situação... é permitido aos bancos efectuar contratos com taxas de juros que entre pessoas singulares eram consideradas crimes...

Also... o Junior está a demorar muito a aparecer por aqui :-..

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Perks: os bancos trabalham com dinheiro que não é deles. Emprestem a quem emprestar, devam a quem dever, não estão a usar dinheiro dos outros?

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Punk o que isso invalida o que eu disse sobre te consultarem antes de assinar? Esse é outro problema, toda a gente pensa em poupar uns cobres e grandes empresas nem acessoria juridica têm...

also como é que sabes se existe usura ou não em determinada situação?

1º não sabes a taxa a qual um banco se financiou.

2º só para contextualizar, a principal diferença entre juro e usura tem a ver com os primordios do sistema bancários em que juro era a taxa cobrada dentro dos valores estipulados na tabela prevista em lei e usura passou a ser o termo utilizado para se referir a cobrança de taxas superiores ao limite máximo permitido, ora como neste momento não existe tabela máxima de juros (excepto em contratos/financiamentos muito especificos) logo não pode haver usura aos olhos da lei

3º Implica sempre um acordo entre ambas as partes,e só assina quem quer...

sorry Punk nesta não estou contigo, dude

@Perks: os bancos trabalham com dinheiro que não é deles. Emprestem a quem emprestar, devam a quem dever, não estão a usar dinheiro dos outros?

sim esse é o principio, o problema é que a tua lógica cai por terra quando as necessidades de financiamento do país são mais de 10 vezes superior ao capital a circular.

Ora assim sendo os bancos contraem empréstimos para terem fundo de maneio para te emprestar, se queres levantar podes fazê-lo, paga é o que deves ( é uma lógica fdda não é? ;) )

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Só assina quem quer" FDS! Tenho que começar a usar esse argumento em tribunal!

"O contrato tem clausulas contratuais gerais ilegais?! SA FODA! Só assina quem quer!",

"Estão-me a exigir a conversão de uma CCC de 100 mil euros em mutuo pq senão executam-me e querem que assine um contrato com taxa de juro de 16%?! SA FODA!!! Só assino porque quero!".

Pq raio é que não me lembrei dessa antes...

E já agora quem quiser aprender umas coisas...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dasse dude, pensas que vou ler isso tudo?!?!

Clausulas contratuias ilegais, não sei, nunca vi em nenhum contrato, pode ter clausulas que olhem mais pelo interesse do banco, mas isso

Podia estar aqui a discutir ou não sobre isso, mas como nunca vi clausulas ilegais não sei...

Quanto a conversões de crédito que queres que te diga?

As empresas contratam uma CCC que é tipicamente um crédito de curto prazo (se vires bem até o imposto de selo cobrado indica que é um crédito de curto prazo ;) e é-te perfeitamente impossível discordar com isto se até o estado tipifica dessa forma) e querem usar aquilo ad eternum, estão lesar o estado, e certamente o banco reserva-se em alguma clausula ao direito de rescindir um contrato mediante um pré-aviso (mais uma vez as pessoas não lêem) e depois queixam-se...

Share this post


Link to post
Share on other sites

E again... tu voltas a fugir.

E se lesses aquilo tudo só te fazia bem :-..

Eu tenho muitos amigos meus no sector bancários e espalhados por vários bancos. A esmagadora maioria deles eram como tu e vestiam a camisola do banco basicamente até morrer. Pq o banco é que é e pq isto e pq aquilo... até ao dia em que recebem o email a convida-los a deslocar a um qq edf no Porto para uma conversa...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Perks, eu fico parvo em ver-te a defender a banca com unhas e dentes... :blink:

Quer dizer... xulam o povo a torto e a direito, xulam mais os que têm menos e tu ainda tens a 'lata' de os vir defender... Despesas de manutenção? Mas manutenção de quê? Do quê? Limpam o pó ao servidor onde estão os dados eletrónicos guardados?

Eu ainda sou do tempo em que o meu banco (RIP) me pagava juros anuais só por ter lá uma conta DO aberta... :no:


Btw, 22100 assinaturas. Vamos lá pessoal, vamos aumentar isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Punk Não fugi nada, eu percebi o que tu querias dizer, assim como tu percebeste muito bem nas entrelinhas o que eu disse...

Eu sei o que se passa neste momento e não é só no sector bancário, e posso-te dizer tive que tomar sérias decisões com impacto na minha vida diária e sem ganhos como forma de me defender de potenciais problemas.

De qualquer forma a minha lógica de pensamento garanto-te que não vem de agora, sempre foi +- esta para o bem e para o mal e sempre tomei decisões muito reflectidas, podia até ter um bruto carro nesta altura e não tenho, podia ter uma motinha na garagem e não tenho, podia ter muito mais coisas que não tenho, imagina tu que até podia ter um iPad e não tenho :trollface:

E isto é muito mais do que >99% da população tuga pode dizer, e depois a culpa é dos bancos...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não podes descartar assim a culpa dos bancos! NEM PENSAR! Tinha eu 19 anos, andava na faculdade e nunca na vida tinha tido qq declaração de IRS e chegavam a minha casa créditos de 10 mil euros, e cartões com plafon de 4 mil que só tinha que activar.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas não descartei a culpa dos bancos em lado nenhum, é obvio que situações dessas são completamente absurdas, mas também não podes passar por cima da responsabilidade individual que é o que se vê quando se lê coisas dessas ou quando se vê o rebanho a assinar petições de merda. "poder ter" não significa "ter que ter"

e portanto se não concordam com as despesas, fechem a conta e mudem de banco, alguém vos obriga a ter conta em determinado banco?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Perks, eu fico parvo em ver-te a defender a banca com unhas e dentes... :blink:

Eu acho que o Perks é banqueiro e não bancário :-..

Share this post


Link to post
Share on other sites

A questão não é essa Perks.

A maioria das alternativas que existem cobram essa taxa também.

E depois, trocar de banco não é bem a mesma coisa do que trocar de cabeleireiro ou de padaria quando não estou satisfeito.

Estamos a falar de algo que causa 1 grande transtorno ao cliente, não se pode comparar da mesma forma.

No que toca ao crédito acho que é 1 questão que não tem nada a ver mas todos tem culpa nisto, pessoas, bancos e governo.

Tanto os bancos como o governo andaram a incentivar agressivamente o credito.

Os bancos viram bons negócios e aproveitaram, no entanto também emprestaram a quem não deviam (mais olhos que barriga).

As pessoas, contraíram créditos que não deviam, nem os bancos lhes deviam ter aprovado.

Entra a famosa "crise", cortes e políticas de austeridade e de repente a capacidade das pessoas pagarem os créditos que contrariam foi-se.

O povo gastador e preguiçoso deixou o país na miséria e agora não quer pagar aos muy nobres bancos que tanto fez pelo bem estar desse povo.

Edited by Lancer

Share this post


Link to post
Share on other sites

A questão não é essa Perks.

A maioria das alternativas que existem cobram essa taxa também.

E depois, trocar de banco não é bem a mesma coisa do que trocar de cabeleireiro ou de padaria quando não estou satisfeito.

Estamos a falar de algo que causa 1 grande transtorno ao cliente, não se pode comparar da mesma forma.

Dá menos trabalho que mudar de operadora e quantas vezes já o fizeste?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.