Jump to content
Sign in to follow this  
Revenge

Fractura tectónica em formação ao largo da costa portuguesa

Recommended Posts

Cientistas descobriram fractura tectónica em formação ao largo da costa portuguesa

Após os grandes terramotos de 1755 e 1969 em Portugal, já se suspeitava que algo estivesse a acontecer no fundo do Atlântico, próximo da Península Ibérica. Agora, cientistas portugueses, australianos e franceses afirmam ter descoberto os primeiros indícios desse fenómeno.

778710.jpg

A descoberta de uma zona de subducção nas suas primeiríssimas fases de formação, ao largo da costa de Portugal, acaba de ser anunciada por um grupo internacional de cientistas liderados por João Duarte, geólogo português a trabalhar na Universidade de Monash, na Austrália.

A confirmar-se que o fenómeno, em que uma placa tectónica da Terra mergulha debaixo de outra, está mesmo a começar a acontecer, como concluem estes cientistas num artigo publicado online pela revista Geology, isso significa que, daqui a uns 200 milhões de anos, o oceano Atlântico poderá vir a desaparecer e as massas continentais da Europa e América a juntar-se num novo supercontinente.

João Duarte e a sua equipa de Monash, juntamente com Filipe Rosas, Pedro Terrinha e António Ribeiro, da Universidade de Lisboa e do Instituto Português do Mar e da Atmosfera – e ainda Marc-André Gutcher, da Universidade de Brest (França) – detectaram os primeiros indícios de que a Margem Sudoeste Ibérica – uma margem “passiva” do Atlântico, isto é, onde aparentemente nada acontecia – está na realidade a tornar-se activa, explica em comunicado aquela universidade australiana. A formação da fractura foi detectada através do mapeamento pelos cientistas, ao longo de oito anos, do fundo do oceano nessa zona.

“Detectámos os primórdios da formação de uma margem activa – que é como uma zona de subducção embrionária”, diz João Duarte, citado no mesmo comunicado.

E o investigador salienta que a actividade sísmica significativa patente naquela zona, incluindo o terramoto de 1755 que devastou Lisboa, já fazia pensar que estivesse a produzir-se aí uma convergência tectónica.

A existência desta zona de subducção incipiente ao largo de Portugal poderá indiciar que a geografia dos actuais continentes irá evoluir, ao longo dos próximos 220 milhões de anos, com a Península Ibérica a ser empurrada em direcção aos Estados Unidos. Este tipo de fenómeno já terá acontecido três vezes ao longo de mais de quatro mil milhões de anos de história do nosso planeta, com o movimento das placas tectónicas a partir antigos supercontinentes (como o célebre Pangeia, que reunia todos os continentes actuais) e a abrir oceanos entre as várias massas continentais resultantes.

O processo de formação da nova zona de subducção deverá demorar cerca de 20 milhões de anos, fornecendo aos cientistas uma “oportunidade única” de observar o fenómeno de activação tectónica.

Qualquer dia aparece ai outro terramoto... Só espero que não seja no meu tempo de vida útil.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se for no teu tempo de vida inútil também é capaz de ser chato.

Also, o processo demora 20 milhões de anos e oferece uma oportunidade para observar? :unsure:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se for no teu tempo de vida inútil também é capaz de ser chato.

Also, o processo demora 20 milhões de anos e oferece uma oportunidade para observar? :unsure:

O observar e relativo, o que eles vão fazer é colocar uns aparelhos que medem as deformações e tensões naquela zona, e com sorte têm ddados suficientes para descrever o processo, o observar é relativo, teoricamente sabes como se realiza o processo, mas os mecanismos fisicos e a taxa de submersão acho que nunca foram observados o que esta falha vai permitir

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ou seja, qualquer dia isto vai tudo cu crl e aí sim é que vão ver o que é crise.

Share this post


Link to post
Share on other sites

"com a Península Ibérica a ser empurrada em direcção aos Estados Unidos."

Já o Saramago dizia isso na Jangada de Pedra.. aí vamos nós pelo mar adentro...

"A separação geográfica é uma alusão ao que Saramago via ocorrer frente à unificação da Europa, onde os países ibéricos estavam postos de lado, navegando à deriva sem se identificarem cultural, social ou economicamente com o restante do continente.

A este acontecimento impactante, aparentemente sem explicação científica, precedem outros quatro igualmente sobrenaturais que unem as personagens com quem ocorreram os factos. Joana Carda, Joaquim Sassa, José Anaiço e Maria Guavaira, Pedro Orce e Cão, percorrem uma longa jornada em busca de algo que lhes desatormente as almas, a sentirem-se culpadas pelo ocorrido."

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se for no teu tempo de vida inútil também é capaz de ser chato.

Also, o processo demora 20 milhões de anos e oferece uma oportunidade para observar? :unsure:

Sim, de verificar como o fenómeno de activação começa.

Also, estas colisões entre continentes são mais que certas e sabidas. O norte de África vai se afundar na placa euroasiática, por exemplo. Quanto ao choque entre Europa e América já é uma novidade pois pensava que estas se estavam a afastar.

Share this post


Link to post
Share on other sites

"com a Península Ibérica a ser empurrada em direcção aos Estados Unidos."

Já o Saramago dizia isso na Jangada de Pedra.. aí vamos nós pelo mar adentro...

"A separação geográfica é uma alusão ao que Saramago via ocorrer frente à unificação da Europa, onde os países ibéricos estavam postos de lado, navegando à deriva sem se identificarem cultural, social ou economicamente com o restante do continente.

A este acontecimento impactante, aparentemente sem explicação científica, precedem outros quatro igualmente sobrenaturais que unem as personagens com quem ocorreram os factos. Joana Carda, Joaquim Sassa, José Anaiço e Maria Guavaira, Pedro Orce e Cão, percorrem uma longa jornada em busca de algo que lhes desatormente as almas, a sentirem-se culpadas pelo ocorrido."

Já lá estivemos.

Pangea_animation_03.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não temos sorte... :(

Não temos sorte?!

Não temos os sismos do Japão, não temos os fogos da Austrália, não temos as cheias do Brasil ou da Ásia sul, ou os tsunamis, não temos os tornados dos EUA.. E não temos sorte? Fdx. Não temos sorte é nos governos, agora da mãe natureza não nos podemos queixar.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os governos não é falta de sorte é mesmo burrice.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não temos sorte... :(

Não temos sorte?!

Não temos os sismos do Japão, não temos os fogos da Austrália, não temos as cheias do Brasil ou da Ásia sul, ou os tsunamis, não temos os tornados dos EUA.. E não temos sorte?

Temos o Archie.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não temos sorte... :(

Não temos sorte?!

Não temos os sismos do Japão, não temos os fogos da Austrália, não temos as cheias do Brasil ou da Ásia sul, ou os tsunamis, não temos os tornados dos EUA.. E não temos sorte? Fdx. Não temos sorte é nos governos, agora da mãe natureza não nos podemos queixar.

Por acaso até temos disso tudo, só que em dose pequena. E os políticos, sim. não temos sorte nenhuma. Absolutamente nenhuma! :(

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.