Jump to content
Sign in to follow this  
panayotopoulos

Caso Bragaparques, Desenvolvimentos

Recommended Posts

Caso Bragaparques: Relação absolve Domingos Névoa do crime de corrupção

O Tribunal da Relação de Lisboa absolveu hoje o empresário Domingos Névoa do crime de tentativa de corrupção do vereador da Câmara de Lisboa José Sá Fernandes.

Segundo os juízes da Relação, “os actos que o arguido (Névoa) queria que o assistente (Sá Fernandes) praticasse, oferecendo 200 mil euros, não integravam a esfera de competências legais nem poderes de facto do cargo do assistente”.

Assim, a decisão da Relação indica que “não se preenche a factualidade típica do crime de corrupção activa de titular de cargo político”, disse aos jornalistas o presidente do Tribunal da Relação, Vaz das Neves.

O recurso do Ministério Público interposto após a condenação de Névoa a pagar uma multa de cinco mil euros foi julgado improcedente.

A fundamentação estabelece que é preciso que as funções do funcionário visado pelo suborno possibilitem que sejam praticados os atos pretendidos pelo corruptor.

A alegada tentativa de corrupção foi denunciada em 2006 pelo irmão do vereador, o advogado Ricardo Sá Fernandes.

Domingos Névoa estava acusado do crime por alegadamente ter tentado subornar o vereador, ao querer que Sá Fernandes desistisse da ação popular de contestação do negócio de permuta - entre a Câmara e a empresa Bragaparques - dos terrenos do Parque Mayer pelos da Feira Popular.

link

Exacto... Com factos na mão, apenas se consegue isto.

E no fim é isto, é considerado inocente aos olhos do público...

Share this post


Link to post
Share on other sites

É a vida, esse Sá Fernandes também não é melhor, a vergonha continua ranting.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

"Este é o preço a pagar por denunciar a corrupção em Portugal"

Ricardo Sá Fernandes viu confirmada a acusação, em processo disciplinar, por gravar conversas com o administrador da Bragaparques

Sá Fernandes tem um processo na Ordem dos Advogados por gravar conversa com Domingos Névoa

O Conselho Superior da Ordem dos Advogados (OA) deu razão ao recurso interposto pelo administrador da Bragaparques, Domingos Névoa, contra Ricardo Sá Fernandes. A acusação alega que o advogado deve ser condenado por violação do segredo profissional e dos deveres de lealdade.

Sá Fernandes disse ao i que vai contestar a decisão. Se optar por arguir a nulidade da deliberação, pode dar origem a um novo recurso dos seus adversários, o que promete empurrar a discórdia entre a Ordem e o seu advogado até aos tribunais europeus. "Este é o preço a pagar por denunciar a corrupção em Portugal", afirmou ao i. E a conta não é pequena, já foi a tribunal por causa das denúncias de corrupção e está agora a braços com uma guerra na Ordem.

O processo disciplinar questiona a gravação e a difusão de conversas de Sá Fernandes com Domingos Névoa. Estas gravações foram feitas em 2006, com o conhecimento do Ministério Público e da Polícia Judiciária. Os diálogos foram registados para documentar e provar uma tentativa de suborno a José Sá Fernandes, irmão do advogado agora acusado, para que este desistisse de uma acção popular que questionava e tentava impedir a concretização de uma permuta entre os terrenos do Parque Mayer e os da Feira Popular de Lisboa. O acordo foi celebrado entre a empresa Bragaparques e Câmara Municipal de Lisboa.

O Conselho de Deontologia da Ordem dos Advogados (AO) já tinha decidido arquivar o caso no início do ano. A advogada de Névoa recorreu, e o Conselho Superior deu-lhe razão.

O que está agora em discussão na ordem já foi debatido, de várias perspectivas, nos tribunais. Em Maio, o Tribunal de Braga absolveu Ricardo Sá Fernandes de uma acusação de difamação ao empresário Domingos Névoa. O que estava em discussão eram as suas afirmações ao semanário "Sol". Sá Fernandes afirmava em entrevista que Névoa era um "agente corruptor" e "vigarista". O juiz também recusou o pedido de indemnização ao proprietário da Bragaparques, que pedia 25 mil euros. A decisão valorizou o exercício da liberdade de expressão e concluiu que as declarações foram proferidas "como exercício de crítica fundamentada" e não com o "intuito de humilhar".

Quanto a Domingos Névoa, foi condenado por tentar corromper José Sá Fernandes, mas o Tribunal da Relação anulou a decisão, e o Supremo Tribunal de Justiça deu razão à Relação de Lisboa.

José Sá Fernandes, também advogado, representava-se a si mesmo na acção popular que interpôs contra a Bragaparques, mas ao assumir o cargo de vereador na Câmara Municipal de Lisboa, em Outubro de 2005, nomeou o irmão. A então advogada de Névoa, Rita Matias, era colega de escritório de Ricardo Sá Fernandes. As conversas gravadas tiveram lugar nos dias 18, 22, 24 e 27 de Janeiro de 2006 e o caso foi relatado na imprensa. A alegada tentativa de corrupção nunca foi condenada pela justiça.

link

È incrível como esta m**** ainda está assim. Como é que com evidência não se conseguem enjaular estes endivíduos que andam por aí a pavonearem-se e provavelmente a continuarem a fazer a mesma porcaria facepalm.gif

Share this post


Link to post
Share on other sites

Supremo condena Domingos Névoa por corrupção

Administrador da Bragaparques foi condenado a 5 meses de prisão. A pena é suspensa na condição de Domingos Névoa pagar €200 mil ao Estado nos próximos dois meses.

O processo Bragaparques teve hoje uma reviravolta final: o Supremo Tribunal de Justiça decidiu condenar Domingos Névoa pelo crime de corrupção ativa para ato ilícito.

O empresário, dono da Bragaparques, foi condenado a cinco meses de prisão. A pena é suspensa por um ano se nos próximos dois meses Domingos Névoa pagar 200 mil euros ao Estado.

A decisão dos juízes Santos Carvalho e Rodrigues da Costa é duplamente desfavorável para o arguido. Em 2009. Domingos Névoa foi condenado a uma multa de cinco mil euros, recorreu e no ano seguinte, a Relação de Lisboa acabou mesmo por absolvê-lo.

O caso refere-se a uma suposta tentativa de suborno do vereador da Câmara de Lisboa, José Sá Fernandes, para permitir a permuta de terrenos da Feira Popular e do Parque Mayer.

link

Eu ainda escrevia "a justiça funciona em PT!!!" - mas dps de ler melhor, 5 meses apenas??? E com pena suspensa se entregar 200.000€ ao estado (o valor com o qual ele estava a tentar aliciar o outro...)??? Foi um pouco decepcionante....

Para os entendidos do fórum, são valores justos e adequados, ou bagatelas? E o tempo de cadeia? Não podia ser maior?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já que estamos em crise em vez de irem ao bolso ao Zé podiam ir a esses chulos, esse era já uma multa duns 200 milhões :trollface:

Share this post


Link to post
Share on other sites

pronto, lá vai o quarto de hora na bragaparques aumentar mais uns cêntimos e o pessoal que fornece material à empresa dele ficar mais uns meses a arder com o pagamento.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lisboa Bragaparques: Tribunal absolveu todos os arguidos

O Tribunal Central de Lisboa absolveu hoje o ex-presidente da Câmara de Lisboa Carmona Rodrigues e os ex-vereadores Fontão de Carvalho e Eduarda Napoleão, acusados de prevaricação de titular de cargo político, no âmbito do processo Bragaparques.

Em causa estaria o suposto favorecimento da Bragaparques em prejuízo do município.

Para o tribunal, os arguidos não agiram "em conjunto e em conluio" para "beneficiar o particular" (Bragaparques), acrescentando que, numas situações houve "clara de falta de prova" e outras "dúvidas", aplicando-se, neste caso o princípio de "na dúvida absolve-se".

O processo remonta a 2005, quando a Assembleia Municipal de Lisboa aprovou por maioria a permuta dos terrenos do Parque Mayer - então detidos pela empresa Bragaparques - com parte dos terrenos municipais da antiga Feira Popular, em Entrecampos. O negócio envolveu, ainda, a venda em hasta pública do lote restante da Feira Popular à Bragaparques, depois de a empresa ter exercido o direito de preferência, passando a deter a totalidade do espaço.

Os arquitetos José Azevedo e Rui Macedo, e Remédio Pires, dos serviços jurídicos do município, foram também absolvidos.

Notícias ao Minuto

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Lisboa Bragaparques: Tribunal absolveu todos os arguidos

O Tribunal Central de Lisboa absolveu hoje o ex-presidente da Câmara de Lisboa Carmona Rodrigues e os ex-vereadores Fontão de Carvalho e Eduarda Napoleão, acusados de prevaricação de titular de cargo político, no âmbito do processo Bragaparques.

(...)

 

 

Acho que este país não tem emenda :(

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

Lisboa Bragaparques: Tribunal absolveu todos os arguidos

O Tribunal Central de Lisboa absolveu hoje o ex-presidente da Câmara de Lisboa Carmona Rodrigues e os ex-vereadores Fontão de Carvalho e Eduarda Napoleão, acusados de prevaricação de titular de cargo político, no âmbito do processo Bragaparques.

(...)

 

 

Acho que este país não tem emenda :(

 

 

Ter, até tem, mas envolve enforcar muita gente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.