Jump to content

Maconha E Psicadélicos Inspiram Muitas Das Mais Brilhantes Mentes Do Mundo Moderno


Recommended Posts

Maconha e psicadélicos inspiram muitas das mais brilhantes mentes do mundo moderno.

Stephen Jay Gould

Cientista de renome e professor de Harvard Stephen Jay Gould morreu em Maio de 2002, de cancro no pulmão. Gould foi o autor de vários livros sobre ciência e evolução, incluindo “A má avaliação do Homem” (The Mismeasure of Man), e o seu maciço opus de 1400 páginas “A Estrutura da Teoria Evolutiva” (The Structure of Evolutionary Theory), publicado logo após sua morte. Enquanto muitos obituários marcaram a morte de Gould, poucos mencionaram que Gould tinha usado cannabis, pelo menos desde 1982. Esse foi o ano que lhe foi diagnosticado um cancro raro e incurável chamado mesotelioma abdominal, e disseram-lhe que tinha oito meses de vida.

Gould sobreviveu e prosperou durante 20 anos depois de receber esse diagnóstico sombrio, com tratamentos, incluindo cirurgia, radioterapia e quimioterapia. No entanto, para além destes, Gould alegou que foi a marijuana, que lhe salvou vida. "O efeito mais importante sobre a minha eventual cura", disse Gould, "foi o de drogas ilícitas, a marijuana."

Gould testemunhou os benefícios da maconha medicinal em Agosto de 1998, no julgamento em Ontário, o paciente de cannabis e activista Jim Wakeford (CC n º 15, Jim Wakeford - Canada's Best Hope for Medical Marijuana?). Ele disse ao tribunal como não havia "absolutamente nada" para tratar as náuseas, com a excepção da erva, que "funcionou como um encanto."

"Vai para além da minha compreensão de que qualquer pessoa humana iria reter a substância benéfica a pessoas com grande necessidade, simplesmente porque outros usam para diferentes propósitos", disse Gould.

No entanto, Gould não admitia ser um “pot head”. "Eu estava relutante em tentar, porque eu nunca tinha fumado qualquer substância habitualmente, e nem sequer sei como a inalar. Além disso, eu tinha tentado duas vezes a marijuana? E odiava isso." No entanto, o uso crónico de cannabis medicinal não roubou a Gould nenhum de seu vigor intelectual. O seu aclamado “A Estrutura da Teoria Evolutiva” foi pesquisado e escrito sobre as duas décadas que Gould consumia muita erva para manter sua saúde.

Gould também foi signatário de um anúncio de 1998, no New York Times, que teve duas páginas inteiras a apelar a uma nova política de drogas internacional. "Acreditamos que a guerra global contra as drogas causa agora mais danos do que o abuso de drogas em si", afirmou o anúncio.

(Outros signatários do anúncio incluía Walter Cronkite, o ex-E.U. Surgeon General Joycelyn Elders, ex-Procurador-Geral Nicholas Katzenbach, ex-secretário de Estado George Shultz, o prefeito Willie Brown de San Francisco, o prefeito de Baltimore, Kurt Schmoke, Susan Hammer Mayor de San Jose, Milton Friedman, e uma variedade de juízes, polícias, académicos e outros cidadãos proeminentes.)

Carl Sagan

Gould estava longe de ser o único no mundo dos cientistas, amigos da cannabis. Embora a maioria dos cientistas serem muitas vezes reticentes para admitir ou discutir publicamente o uso de drogas ilegais para melhorar a mente, há alguns que não têm medo de discutir abertamente como a cannabis ou psicodélicos abriram a sua mente para novas perspectivas científicas.

Um exemplo proeminente é o astrónomo Carl Sagan, que era um usuário regular de maconha desde o início dos anos 60 até sua morte em 1996. Como Gould, Sagan também era conhecido pela sua capacidade de explicar as suas idéias complexas para o público em geral (CC n º 32 Carl Sagan: cientista visionário).

Sagan era amigo íntimo de professor de Harvard, Dr. Lester Grinspoon, um dos principais defensores da descriminalização. Num relatório anónimo que Sagan escreveu para o livro de Grinspoon “Marijuana Reconsidered”, Sagan explicou como o seu consumo de cannabis tinha na altura inspirado a produzir artigos científicos, que ganharam elogios.

Sagan contestou o "mito" dos efeitos da moca? Que os conhecimentos obtidos durante a “pedrada” são ilusórios. "Estou convencido de que este é um erro", escreveu Sagan, "e que os devastadores conhecimentos alcançados quando elevados são percepções reais, o problema principal é colocar essas ideias numa forma aceitável para o completamente diferente que nós somos quando estamos sóbrios no dia seguinte. "

Uma anedota clássica a partir de meados da década de 1980 mostra a devoção de Sagan para o efeito inspirador de diferentes tipos de erva. Grinspoon tinha recebido alguns cabeços, não solicitados, de um admirador que compartilhou a alta-potência das suas ganzas com Sagan e sua esposa Ann Druyan. Depois, disse Sagan "Lester, eu sei que você só tem mais uma, mas poderia eu ficar com ela? Eu tenho um sério trabalho para fazer amanhã e poderia realmente dar jeito."

Embora o uso de erva de Sagan, apenas se tornou conhecimento comum depois da sua morte, sua última esposa Druyan era um membro de longa data e angariadora de fundos para a Organização Nacional para a Reforma da Marijuana Laws (NORML).

Richard Feynman

Richard Feynman foi um intelecto extraordinário que revolucionou a física moderna. Durante a sua carreira surpreendente, ele ajudou a projectar a bomba atómica, criou uma teoria ganhadora do Prémio Nobel da electrodinâmica quântica, tornou-se um arrombador qualificado a expor as falhas que levaram ao desastre da nave espacial Challenger. Sua autobiografia “O senhor está brincando, Sr. Feynman!” é cheia de anedotas sobre a forma como ele usou seu vasto repertório de conhecimentos matemáticos arcano e senso comum de ser mais esperto e enganar a comunidade científica, instituições políticas e militares.

Feynman foi um cientista brilhante, muito antes de ter experimentado maconha e LSD com idade nos 50, mas alegou ter aprendido com as experiências de expansão da mente. Feynman foi um amigo de John Lilly, um pesquisador que foi pioneiro na utilização dos tanques, estudou psicadélicos e a consciência, e é mais conhecido pelo seu trabalho com golfinhos. O uso destas substâncias ilícitas por Feynman foi mais no contexto de experiências com sua própria consciência, enquanto num tanque de privação sensorial.

Ao experimentar com a sua mente e memórias em tanques de Lilly, Feynman também se reuniu com Baba Ram Das, ex-professor de Harvard, Richard Alpert, amigo de Timothy Leary e autor de “Estar aqui agora”. Baba Ram Das instruiu Feynman em como conseguir “experiências fora do corpo”, que Feynman realizou no tanque.

Feynman descobriu que a cannabis o ajudou a atingir o estado alucinatório que ele procurava. "Normalmente eu demorava cerca de quinze minutos para começar a alucinar", escreveu Feynman, "mas em algumas ocasiões, quando eu não fumava à algum tempo, vinha com muita rapidez."

Feynman também tentou LSD, nestas circunstâncias, mas em “Genius”, a sua biografia escrita por James Gleick, Feynman é descrito como sendo "constrangido" pelas suas experiências com o LSD. Feynman também recebeu algumas críticas de seus colegas para sua admissão. Num ensaio chamado Fumar ou não fumar, Dr. Lester Grinspoon escreveu que "Feynman, pela coragem de reconhecer a sua utilização permanente de maconha, ganhou o respeito e a apreciação de muitos e rivalidades com outros."

Kary Mullis

Outro iluminado científico que beneficiou do uso de drogas ilícitas para expandir a mente é Kary Mullis. Mullis ganhou em 1993 o Prêmio Nobel de Química para o desenvolvimento de uma técnica já usada comummente chamada de "reacção em cadeia da polimerize", que permite aos cientistas rápida e facilmente, duplicar segmentos de ADN.

Na sua autobiografia em 1998 “Dancing Naked in the Mind Field”, Mullis afirmou: "Acho que poderia ter sido estúpido em alguns aspectos, se não fossem as minhas experiências psicadélicas."

Mullis também descreve sua primeira viagem de LSD em 1966, antes da droga ter sido proibida. Sob o conselho de um amigo seu, ele experimentou maconha em primeiro lugar, e depois comeu uma dose de 1000 microgramas de ácido Owsley. "Eu não terminar o jantar. Eu comecei-me a rir. Levantei-me da mesa e percebi, no caminho para o sofá, que tudo que eu sabia era baseado em uma falsa premissa. Fui transportado através do sofá para outro mundo."

No dia seguinte, ainda a assimilar a experiência, Mullis foi inspirado a entender mais sobre neurologia e bioquímica. "Eu queria entender o que tinha acontecido. Como poderia 1000 microgramas – um milésimo de um grama – de alguns produtos químicos foder o meu sensorium todo e submete-lo a tais mudanças incríveis? Que mecanismos dentro do meu cérebro eram tão drasticamente afectados? O que é que estes produtos químicos fazem à minha visão? Eu queria saber como funcionava. Eu queria saber mais sobre a neuroquímica ".

Andrew Weil

O Dr. Andrew Weil é possivelmente o melhor naturopata do mund. Ele é um graduado na Harvard Medical School, também tem um diploma de Harvard AB na biologia, e é um especialista reconhecido internacionalmente em ervas medicinais, interacções corpo-mente, e medicina alternativa. Dr. Weil aparece na capa da revista Time, em 1998, e é autor de oito livros, inclusive de “Chocolate To Morphine”, e o best-seller nacional “Spontaneous Healing”.

Weil está aberto sobre a sua utilização no passado e presente de substâncias ilegais, alegando que "Eu acho que tentei todas as drogas em “Chocolate To Morphine”." Ele está igualmente aberto com seus pontos de vista sobre o fim da guerra contra as drogas e os benefícios de muitas plantas proibidas. Weil afirma que há uma necessidade inata ao ser humano para alterar a consciência, e que não existe tal coisa como drogas boas e drogas más, apenas alguns indivíduos com relações boas ou más com essas substâncias.

No entanto, apesar disso, a história pessoal de Weil com a cultura da droga é menos conhecida. Weil estudou com o Dr. Timothy Leary em Harvard, e também trabalhou com o Dr. Lester Grinspoon na pesquisa da cannabis no final da década de 1960.

No início de sua carreira Weil escreveu para a revista High Times, incluindo artigos como Uma viagem gourmet provador de coca do Peru: Perseguindo a moca das antigas ervas.

Primeiro livro de Weil foi “The Natural Mind”, publicado em 1971. Nele, ele escreve sobre as vantagens de pensar “com a moca” na compreensão da saúde e diagnóstico de doenças.

Weil foi mesmo homenageado com um cogumelo psicadélico chamado em sua homenagem: weilii Psilocybe foi descoberto e nomeado em 1995.

Sigmund Freud

Sigmund Freud, médico, psicólogo e pai da psicanálise, é geralmente reconhecido como um dos pensadores mais influentes e autoritários do século XX.

No início da década de 1880 o alcalóide da cocaína foi extraído das folhas de coca e alguns estudos começaram para o seu uso médico. Freud estava intrigado com a droga e foi um dos primeiros a estudar e utilizá-la. "Tomo doses muito pequenas regularmente contra a depressão e contra a indigestão, com um sucesso brilhante", escreveu Freud.

Freud estava muito entusiasmado com os benefícios da cocaína. Em 1884 seu livro "Über Coca", Freud escreve sobre a alegria e euforia duradoura, produzida pela cocaína ", que em nada difere da euforia normal da pessoa saudável. Este resultado é apreciado sem que nenhum dos desagradáveis efeitos posteriores que precedem a euforia provocada pelo álcool. "

Em 1884 numa muito citada carta à sua noiva, Martha Bernays, Freud escreveu: "Ai de vós, minha princesa, quando eu chegar, eu vou te beijar muito avermelhadamente e alimentá-la até que você fique gorda. E se você for para a frente, você verá quem é mais forte, uma menina delicada, que pouco não come o suficiente ou um grande homem selvagem que tem cocaína no seu corpo. "

Ralph Abraham

Ralph Abraham foi um professor de matemática na Universidade da Califórnia, Santa Cruz, desde 1968. Ele já escreveu mais de uma dúzia de livros e é um editor para o International Journal of Bifurcations and Chaos. Abraham é um líder reconhecido no campo emergente da "teoria de sistemas dinâmicos", também chamada de "matemática do caos."

Numa entrevista de 1991 com a revista GQ, Abraham explicou como o seu conhecimento dos psicadélicos o tinham ajudado a influenciar as teorias matemáticas. "Na década de 1960 um grande número de pessoas nas fronteiras da matemática tiveram experiências com substâncias psicadélicas. Houve um beijo breve e extremamente criativo entre a comunidade de hippies e matemáticos de topo. Eu sei disso porque eu era um provador de psicadélicos para a comunidade matemática. "

"Para se ser criativo em matemática", continuou Abraham, "tem que se começar num ponto de total esquecimento. Basicamente, a matemática é revelada num processo totalmente inconsciente em que se é completamente ignorante ao clima social. O avanço da matemática sempre foi o motor por trás do avanço da consciência ".

Timothy Leary

Muito possivelmente, o mais famoso cientista mocado do nosso tempo, Timothy Leary foi um altamente respeitado pesquisador e professor de psicologia antes de se interessar em LSD e outras substâncias psicadélicas. Embora a biografia completa de Leary seja demasiado longa para contar tudo aqui, as suas primeiras realizações académicas são dignas de nota.

Leary começou sua carreira em 1954 como um psicólogo e pesquisador da Fundação Kaiser, em Oakland. Lá, ele publicou um grande número de artigos, escreveu um aclamado livro de psicologia, e desenvolveu um teste de personalidade padrão usado por funcionários da prisão para ajudar a classificar os prisioneiros, de acordo com seu perfil, o potencial de escapar.

(Quando Leary foi condenado muitos anos mais tarde, os funcionários da prisão sem querer fizeram-lhe o padronizado "Leary Test." Leary foi capaz de dar as respostas que mostram ser de risco baixo, e colocaram-no numa prisão de segurança mínima. Logo escapou.)

Enquanto na Fundação Kaiser, Leary popularizou as suas teorias sobre a transacção existencial. A ideia de que a relação entre o terapeuta e o paciente ser alterado para um intercâmbio mais igualitário. Ele foi prontamente nomeado pela Universidade de Harvard, onde, durante anos os alunos já tinham sido usados como cobaias em experiências secretas da CIA com LSD. Ainda assim anos se passariam antes do próprio Leary experimentar expandir a mente com a droga a que ele seria para sempre associado.

Em 1957, Leary estava entre os milhões que leram o artigo 17-página na revista Life, onde R Gordon Wasson discutiram as suas experiências com cogumelos de Psilocybe. Como muitos outros, Leary foi inspirado a viajar para o México e provar os cogumelos por si mesmo, e ele retornou a Harvard animado sobre os seus planos para a investigação do composto activo, a psilocibina. Leary começou a trabalhar com Richard Alpert (que mais tarde mudaria seu nome para Baba Ram Dass) e juntos eles publicaram uma série de trabalhos de pesquisa.

O estabelecimento de Harvard ficou alarmado com a pesquisa de Leary, que muitas vezes teve lugar em casa de Leary e pesquisadores tinham de tomar a droga com os seus súbitos. Mas Leary persistiu com as suas técnicas pouco ortodoxas.

Leary foi pela primeira vez apresentado ao LSD no início dos anos sessenta, e ficou muito impressionado com os seus efeitos. Ele mudou o foco da sua pesquisa com o LSD, mas ficou sob fogo crescente dos seus colegas académicos de Harvard. Além disso, muitos dos colegas de Leary tinham ligações com a CIA, e a CIA queria manter os seus programas de pesquisa de LSD secretos. Eles não gostavam que Leary realizasse pesquisas semelhante em campo aberto.

Em 1963, a carreira académica formal de Leary acabou, com ele, Alpert, foram despedidos de Harvard, foi primeira vez que um corpo docente de Harvard tinha sido demitido, no século 20. Leary passou a levar uma vida extraordinária, incluindo o passar tempo como um condenado, um fugitivo, um palestrante, debatendo publicamente Gordon Liddy, bem como escrevendo dezenas de livros com as suas ideias e pesquisas sobre drogas psicadélicas, realidade virtual, neurologia, a evolução, e outros tópicos.

Estes oito cientistas são apenas uma amostra representativa das muitas pessoas brilhantes que foram inspiradas e criativamente desafiadas pelas potentes substâncias com efeitos de expansão mental. Mais exemplos de como o nosso mundo moderno tem sido moldado pelas visões de génios “mocados” numa edição futura da Cannabis Culture.

Edited by BooM
Link to post
Share on other sites

Eu acho é muito estúpido a parte do "mundo moderno [que] tem sido moldado pelas visões de génios “mocados”... Estamos nas mãos dos 'drógados'... :no:

Link to post
Share on other sites

Tenho um amigo que fuma moconha com alguma regularidade e de inteligente não tem muito.

E quando está sob efeito, só sabe rir e dizer coisas estúpidas e sem sentido :lol:

LOL que senhor!!! :D :-..

Link to post
Share on other sites

Qual é o espanto?

Há drogas que despoletam altos estados de introspecção e visão. Se um gajo brilhante tiver uma experiência destas com uma droga qualquer e se não se sentir desconfortável, certamente verá coisas brutais e terá ideias brilhantes que no seu estado normal certamente não teria. Isto acontece pq o cérebro está a funcionar de forma diferente.

Imaginem um campo de erva com uns trilhos marcados no solo. Os trilhos representam o percurso mais comum que as nossas ideias tomam quando estamos no estado normal. Quando estamos sobre o efeito de uma substancia qualquer deste tipo, os trilhos não representam nada e um gajo anda por onde calha até chegar onde quer.

Agora, isto não acontece com qualquer um.

Um bronco sem nada na cabeça, se usar mescalina, por exemplo, fica um grande bronco com uma grande broa...

Link to post
Share on other sites

Quantos génios já houve sem a ajuda da ganza e afins?

Quantos ganzados é que são umas bestas?

Ao colocares este tópico estás a relacionar uma coisa directamente com a outra e quem acreditar ou é parvo ou quer ser parvo...

<_<

Link to post
Share on other sites

Qual é o espanto?

Há drogas que despoletam altos estados de introspecção e visão. Se um gajo brilhante tiver uma experiência destas com uma droga qualquer e se não se sentir desconfortável, certamente verá coisas brutais e terá ideias brilhantes que no seu estado normal certamente não teria. Isto acontece pq o cérebro está a funcionar de forma diferente.

Imaginem um campo de erva com uns trilhos marcados no solo. Os trilhos representam o percurso mais comum que as nossas ideias tomam quando estamos no estado normal. Quando estamos sobre o efeito de uma substancia qualquer deste tipo, os trilhos não representam nada e um gajo anda por onde calha até chegar onde quer.

Agora, isto não acontece com qualquer um.

Um bronco sem nada na cabeça, se usar mescalina, por exemplo, fica um grande bronco com uma grande broa...

Era isso mais ou menos isso que ia dizer, mas com menos palavras. :-..

Aumenta a criatividade, porque inibem a "lógica" normal do cérebro. Mas para terem essas ideias mais foras do comum, a inteligência e sabedoria têm de estar lá.

Link to post
Share on other sites

Até podias fazer o mesmo com o café.

Quantos e quantos gajos poderiam dizer que não tinham alcançado o que alcançaram sem o bendito cafézinho que os ajudou a ficar a pé, ou a começar um dia de trabalho?

Agora daí dizer que o uso do café está associado a grandes feitos, se calhar vai um grande passo.

Link to post
Share on other sites

Quantos génios já houve sem a ajuda da ganza e afins?

Quantos ganzados é que são umas bestas?

Ao colocares este tópico estás a relacionar uma coisa directamente com a outra e quem acreditar ou é parvo ou quer ser parvo...

<_<

?

Com este tópico eu não estou a querer dizer nada.. Acho que ninguem vai mandar drogas a torto e a direito para ter alguma epifania.. É apenas curioso porque foi com substancias ilicitas que estes genios ultrapassaram alguns obstaculos...

Até podias fazer o mesmo com o café.

Quantos e quantos gajos poderiam dizer que não tinham alcançado o que alcançaram sem o bendito cafézinho que os ajudou a ficar a pé, ou a começar um dia de trabalho?

Agora daí dizer que o uso do café está associado a grandes feitos, se calhar vai um grande passo.

Claro que se os génios tivessem a beber um café ou a mamar uma de penalty deixava de ser curioso... Se o café ou o penalty tiveram a sua parte tambem não podes dizer que não afectou... Mas obviamente o café não afecta a mente da mesma maneira que o lsd ou a cannabis..

Link to post
Share on other sites

O que me parece Boom é que tu queres (quase) à força encontrar justificações que levem uma maioria a ver na droga algo de positivo e de bom, no sentido de ser aceite.

Eu por um lado acho que se a droga (e aqui falo no geral mas mais virado para as drogas leves) tivesse mais aspectos positivos (bons) do que negativos (maus) não haveria qualquer razão para proibi-la ou mesmo racionala em sitios onde o seu uso é permitido. Se a droga fosse tida como "boa" era aceite. Mas como está mais provado que o uso de qualquer droga pode ter graves consequências (variando o grau de perigosidade consoante a droga) é natural que muita gente veja a droga com maus olhos. Já sei que aqui vais comparar a "maconha" ao tabaco e vais dizer que o tabaco faz pior.

Mas Boom, tu não tens que provar nada a ninguém e muito menos impingir aquilo em que acreditas, se na tua ideia a droga é algo de bom. Se a tua vida faz mais sentido porque a droga existe, continua a fazer aquilo que achas que deves fazer. As consequências, se um dias as tiveres, serão única e exclusivamente tuas. ;)

Edited by Walt Sousa
Link to post
Share on other sites

Epah quando se mete aqui tópicos de outros assuntos tambem estão a tentar arranjar seguidores para o conteúdo do mesma ? Não me parece..

Como o rapaz gosta deste tipo de assuntos é normal que mostre o interessa da mesma forma que o pessoal aqui gosta de tecnologias o mostra com entusiasmo..

Quem nao achar os topicos do seu interesse façam next.. em vez de virem sempre com essa do n me levas para o darkside.

Link to post
Share on other sites

Epah quando se mete aqui tópicos de outros assuntos tambem estão a tentar arranjar seguidores para o conteúdo do mesma ? Não me parece..

Como o rapaz gosta deste tipo de assuntos é normal que mostre o interessa da mesma forma que o pessoal aqui gosta de tecnologias o mostra com entusiasmo..

Quem nao achar os topicos do seu interesse façam next.. em vez de virem sempre com essa do n me levas para o darkside.

x2

Link to post
Share on other sites

A mim isto parece-me claro. O BooM vai buscar estes tópicos para tentar provar algo. Provar que a droga traz com ela coisas "boas". Porque se assim não fosse para quê este tópico? Ele que tente provar o que quiser. Está no seu direito. Assim como os outros estão no direito em ter as suas opiniões e manifesta-las. Este assunto até me interessa, como muitos outros mas não sou de todo pró-droga.

Edited by Walt Sousa
Link to post
Share on other sites

Epah quando se mete aqui tópicos de outros assuntos tambem estão a tentar arranjar seguidores para o conteúdo do mesma ? Não me parece..

Como o rapaz gosta deste tipo de assuntos é normal que mostre o interessa da mesma forma que o pessoal aqui gosta de tecnologias o mostra com entusiasmo..

Quem nao achar os topicos do seu interesse façam next.. em vez de virem sempre com essa do n me levas para o darkside.

Eu farteime de tentar explicar isso..

A mim isto parece-me claro. O BooM vai buscar estes tópicos para tentar provar algo. Provar que a droga traz com elas coisas "boas". Porque se assim não fosse para quê este tópico? Ele que tente provar o que quiser. Está no seu direito. Assim como os outros estão no direito em ter as suas opiniões e manifesta-las. Este assunto até me interessa, como muitos outros mas não sou de todo pró-droga.

Vocês tirem as conclusões que queiram, mas nunca me viste nem nunca me vais ver dizer que drogas são boas pa saude ou que fazem bem a não ser em casos especificos.. Se é essa a ideia com que ficas desculpa mas não é de todo o que eu quero transmitir.. O que me ves a querer transmitir é que a proibição não traz beneficios nenhuns para a sociedade.. E depois quando não há argumentos tratam de atacar..

Porque este topico? Porque acho interessante como algumas drogas afectam o cerebro, talvez tu nunca tenhas experimentado estas drogas, nem te aconselho, mas devia-se estudar mais porque há a possibilidades de até serem beneficas se usadas de maneira correcta. Eu acho interessante mas não sou nenhum agarrado como alguns devem pensar. Interessome bastante pela cannabis porque é mal vista mas não devia ser, pelo menos não da maneira como é.. Acho que todos sabem o que se pode fazer alem de fumar..Fuel, tecidos(que sempre se fizeram desde a muitos anos), alimentos, etc. Recriativamente pode ser usada sem ser prejudicial para a saude pelo menos que se saiba.. Pode-se comer, beber ou usar um vaporizador.. Sem o uso do tabaco, a própria erva tem substancias que inibem aquelas que podem ser cancerigenas ( por isso é que dizem que poderá ajudar de alguma maneira contra o cancro mas não há estudos suficientes..), mas misturado com os quimicos do tabaco que são cancerigenos fica tudo activo e é tipo uma bomba de cancro (ainda por cima sem filtro e rexemengas que andam na rua piora ainda mais), e daí é que veio o estudo que fumar ganzas provoca mais cancro que o tabaco.. Esquizofrenia tambem não há nenhum caso conhecido que tenha sido provocado pela cannabis.. Alguns (tambem médicos) dizem que ate faz bem por causa do stress mas eu não vou tão longe.. A questão do tabaco e do alcool serem legais.. Epá a serio, não ves nenhum medico mandar um doente fumar nites ou apanhar bezanas.. Mas com marijuana ves.. Devido a nauseas, algumas dores e mais umas quantas coisas.. Então os doentes de portugal não podem ter os mesmos medicamentos que outros têm.. Por isso logo nesse aspecto tem prioridade para ser legal pelo menos com fins medicinais...

Só para tirar as duvidas que possam haver, eu sou completamente contra drogas tipo heroina, metanfetaminas, crack, cocaina.. Mas em relação à cannabis e ao LSD e mais algumas que são praticamente postas ao lado daquelas que sou contra e tratadas de maneira igual, eu acho que devia ser diferente...

Link to post
Share on other sites

Ha pessoas e pessoas.

Esses tiverem a sorte de lhes despertar a mente eu tenho um amigo meu que desde que colou acidos pela primeira vez nunca mais foi o mesmo. Está fora de casa passas por ele na rua ele é um roto, fala sozinho, apanha pontas de cigarro do chao pa fumar queres mais exemplos ? cunheço inumeros.

Olha a ultima vez q mandei estive 12h a rir-me e quase 48h sem dormir. De benéfico não tem nada. Se calhar o rir tem até, agora 48h sem dormir derreti completamente o cerebro, felizmente tou recomposto :)

Mas BooM o Walt tem razao parece q as vezes queres fazer parecer q a droga é benefica e que nao tem mal absolutamente nenhum em consumir etc etc... eu pelo menos peço-te imensa desculpa se não é isso que queres transmitir mas é isso que eu entendo.

Pa ha pessoas em q a droga nao causa tantos danos, mas que faz mal faz. Temos muitos exemplos na nossa sociedade, apenas nao falo porque isto é um forum publico e poderia causar grandes problemas a minha pessoa. Mas que sei quem consome sei e nos todos vemo-los na televisao todos os dias...

:fnf:

Link to post
Share on other sites

Ha pessoas e pessoas.

Esses tiverem a sorte de lhes despertar a mente eu tenho um amigo meu que desde que colou acidos pela primeira vez nunca mais foi o mesmo. Está fora de casa passas por ele na rua ele é um roto, fala sozinho, apanha pontas de cigarro do chao pa fumar queres mais exemplos ? cunheço inumeros.

Olha a ultima vez q mandei estive 12h a rir-me e quase 48h sem dormir. De benéfico não tem nada. Se calhar o rir tem até, agora 48h sem dormir derreti completamente o cerebro, felizmente tou recomposto :)

Mas BooM o Walt tem razao parece q as vezes queres fazer parecer q a droga é benefica e que nao tem mal absolutamente nenhum em consumir etc etc... eu pelo menos peço-te imensa desculpa se não é isso que queres transmitir mas é isso que eu entendo.

Pa ha pessoas em q a droga nao causa tantos danos, mas que faz mal faz. Temos muitos exemplos na nossa sociedade, apenas nao falo porque isto é um forum publico e poderia causar grandes problemas a minha pessoa. Mas que sei quem consome sei e nos todos vemo-los na televisao todos os dias...

:fnf:

Concordo contigo e eu tambem já tive bem mais que 48h sem dormir e não acho nada saudavel.. Não fiz disso hábito nem nada parecido, nem sequer gosto muito de me andar a drogar para me divertir porque já o alcool me deixava e deixa muito alterado e prefiro muitas vezes não beber.. Mas so mesmo a cannabis é que criei um habito e não fiquei mais burro nem mais lento e não me altera de maneira a eu perder o norte.. E agora diz-me algum argumento que tenhas que a cannabis faz mal a saude quando usada de maneiras como ja disse anteriormente... Eu não encontro e tu tambem nao deves encontrar, mas podes ter a certeza que se o encontrar e fizer sentido sou bem capaz de mudar as minhas ideias... Até lá mantenho a minha curiosidade na guerra sem sentido que fazem contra a dita planta. Quem quiser ver os topicos ve, quem não quiser não vê.

Este artigo achei bastante interessante porque dá-me algumas provas de algumas situações que me ocorreram e que eu questionava, para alem do resto que se pode concluir. Não estou a querer provar absolutamente nada.. A quem não interessa preferem vir ridicularizar e mostrar insatisfação.. Estão tambem no seu direito mas obviamente que levam com a resposta...

BTW: Acho que encontrei o verdadeiro perigo da cannabis.. À medida que o efeito desaparece dá uma gula por coisa doces e pode provocar diabetes..

Edited by BooM
Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.