Jump to content
Sign in to follow this  
camurso_

Menina Raptada Há Um Ano

Recommended Posts

Coloquei isto aqui, porque só pode ser mesmo para rir...

"Estava a almoçar com um ouvido no telejornal. Tinha planeado semear batatas no fim do repasto. Mas quando noticiaram que Andreia Elizabete já havia regressado a casa dos pais, em Lousada - a criança raptada há um ano do Hospital Padre Américo, em Penafiel, chegou ontem por volta das 13.30 horas, acompanhada da mãe, uma psicóloga e duas assistentes sociais -, Manuel Pereira, 65 anos, já não conseguiu acabar a refeição. "Não tive tempo de desfazer a barba nem sequer de apertar os cordões dos sapatos. Peguei no carro e vim logo para aqui".

O reformado de metalurgia é de Felgueiras e apenas uma das cerca de cem pessoas - de Macieira, Paredes, Fafe, Viana do Castelo... -, que ontem não resistiram à curiosidade e à concentração à porta de Albino e Isaura Pinto, progenitores da bebé de 13 meses. "Sou pai e avô. Este caso deu-me sempre muita tristeza. Não gostava que acontecesse aos meus. Por isso, mesmo sem os conhecer, tinha que vir aqui partilhar desta grande alegria", justificou.

A celebração pelo feliz desfecho da história havia sido marcado pela freguesia, solidária, para as 18 horas, com direito a foguetes e banquete. "Mas estão aqui pessoas que nunca vi na vida", desabafava, a meio da tarde, Fátima Couto, vizinha e amiga de todas as horas de Isaura, aturdida com o volume de anónimos.

Para preservar a privacidade e a saúde da criança, que alegadamente nunca terá tomado qualquer vacina, os pais e as técnicas optaram por levá-la para a casa de uma comadre, ali a dois passos, onde toda a família deverá permanecer nas próximas semanas, até à conclusão das obras que o senhorio prometeu realizar para ampliar a casa definitiva.

Mas a população, irada, não se conformou. Exigiu ver a criança, argumentou com os presentes que havia doado, ameaçou arrombar a porta, disparou insultos.

"As pessoas ajudaram no que puderam e agora fazem-nos isto?! Escondem a criança?! Não tem lógica nenhuma", queixava-se Sofia Silva, de Penafiel, cozinheira no unidade hospitalar onde Andreia nasceu. Maria Rosalina Lemos, 47 anos, solteira e sem filhos, liderava o movimento de contestação. "Vi este caso na televisão e fiquei doente. Até perdi o apetite, que uma mulher decente não rouba um filho a uma mãe. Claro que agora faço gosto em ver a criança. Até já perguntei se precisam de padrinhos", afirmava, quase afónica de tanto gritar.

A psicóloga ainda tentou apelar à compreensão da multidão "A Andreia está muito assustada. É a terceira casa que conhece num ano e isso não ajuda a desenvolver a relação com os pais. É importante preservar a imagem dela, porque um dia vai crescer e não seria bom que fosse conhecida como a 'criança raptada'. Este é o nosso conselho, mas a filha não é nossa. Se os pais a quiserem mostrar, a responsabilidade é deles".

Os pais cederam às 15.30 horas, levando a criança, vestida de rosa, à janela. Ouviram-se os primeiros foguetes, os primeiros aplausos, e a população pareceu acalmar. Por pouco tempo. A aparição breve não lhes bastou. Juravam que não queriam pegar-lhe, mas exigiam que apagasse as velas do bolo. Até António Marinho, vidente de Fafe, apareceu para colher os méritos de um desenlace que diz ter adivinhado logo no início. "Os avós consultaram-me e eu garanti-lhes que a bebé havia de aparecer viva e de boa saúde", propagandeava enquanto distribuía folhetos com o seu contacto.

"Parece que ela é de toda a gente, mas ela é só nossa", soltava, perplexo, o irmão mais velho, Paulo, 16 anos. Isaura Pinto, a mãe, era o rosto do pânico e do desnorte. "A gente não pode ir contra a lei. Depois de tudo o que passei, só não a quero perder outra vez", repetia incessantemente. Em vão.

Às 18 horas voltou a ceder à pressão do povo. Andreia desfilou como uma santa num andor pelo quintal onde estavam dispostas as mesas. Começou a festa."

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece a cena da Vida de Brian em que a multidão anda atrás do Brian com a sandália.

"fuck off i'm not the messiah" lol

quanto à noticia....este pais é uma tvi em ponto grande

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parece a cena da Vida de Brian em que a multidão anda atrás do Brian com a sandália.

"fuck off i'm not the messiah" lol

quanto à noticia....este pais é uma tvi em ponto grande

Ou a multidão a pedir à mãe do Brian para deixarem-nos vê-lo.

"- They must have just popped by!

- Popped by? SWARMED by is more like it! There's a multitude out there!

...

- He's not the Messiah. He's a very naughty boy!"

É tal e qual. Esta malta lá da terrinha anda mas é a ver Monty Python com fartura.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estas cenas fazem-me ter vergonha de ser português, e ter vergonha de partilhar a minha nacionalidade com akela gente. Mas mais grave ainda é a TVI e a Fátima ''Gandhi" Lopes dar este tipo de destaque a pessoas que não têm o minimo de condições para sequer serem conhecidas lá no bairro.

Mas pior que tudo é mesmo a palhaçada e o circo que se montou á porta daquela casa... parecia k tinha nascido o salvador do mundo...

É mau de mais.. revolta-me cá dentro... :(

Edited by FirmYirtO

Share this post


Link to post
Share on other sites

isto é o que dá termos uma população envelhecida que n faz um caralho da vida.. onde já se viu este frenesim por causa da criança raptada... isto é tão absurdo que chega a ser msm rídiculo...

eu mandava-os era a todos pró caralho...que povo mais mesquinho chiça...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isto é típico do povo que se cola à TVI p'ra ver Big Brothers e afins...

É nestas alturas que tenho vergonha em ser português...

Share this post


Link to post
Share on other sites

LOL

Não havia nada de jeito a dar na TV e então o pessoal foi armar o espectáculo para ali...

O portuga tem que sempre arranjar alguma coisa para se entreter. Então qd são coisas deste género, ui meu deus!

É isto, são as carpideiras de profissão nos funerais, os velhos e velhas á porta do tribunal a gritar assassíno a uma pessoa que só lá foi por causa de umas multas de trânsito, as cuscas á janela e nas paragens a falar das doenças, etc. Todo um rol de situações tipicamente portuguesas...

Edited by HERiTAGE

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.