Jump to content

blindamos

Elite Members
  • Content Count

    970
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    5

blindamos last won the day on January 30 2018

blindamos had the most liked content!

Community Reputation

628 Neutral

About blindamos

  • Rank
    Oh well, whatever, nevermind.

Profile Information

  • Gender
    Male

Recent Profile Visitors

1,738 profile views
  1. Vi noutro site, mas dizem que esta a dar em directo na CMTV https://beachcam.meo.pt/livecams/carcavelos-calhau/
  2. Carcavelos. Quarentena na praia
  3. Maghrib Foot (@MaghribFoot) tweetou: 🎥 Adel Taarabt vs. Belenenses: From nutmegs and flicks to a composed defensive midfielder. Taarabt's transformation has been astonishing, especially considering his tough time in Portugal. Against Belenenses he was all over the pitch. Man of the Match. https://t.co/wZ1ar7GdlX https://twitter.com/MaghribFoot/status/1223953877353017347?s=20
  4. Sim, caso seja só para comparar essas 4 colunas podes fazer com case ou fazer essas comparações na cláusula where. Eu é que estava a pensar que eram mais que 4 colunas, nesse caso unpivot é a melhor solução na minha opinião. 🖖
  5. Boas, Usando so select, tenta usar fazer UNPIVOT da tabela e sacar o minimo e o maximo valor. e.g. with col_data as ( select rownum as idrow, 2 as col1, 2 as col2, 3 as col3, 2 as col4 from dual union select rownum+1 as idrow, 2 as col1, 2 as col2, 2 as col3, 2 as col4 from dual union select rownum+2 as idrow, 2 as col1, 2 as col2, 2 as col3, 2 as col4 from dual union select rownum+3 as idrow, 5 as col1, 2 as col2, 2 as col3, 2 as col4 from dual ) select col_data.idrow, themax, themin from col_data join ( select idrow, max(Amount) as themax, min(Amount) as themin from col_data UNPIVOT ( Amount FOR AmountCol IN (col1, col2, col3, col4) ) unpvt group by idrow ) val_cols on col_data.idrow = val_cols.idrow and val_cols.themax <> val_cols.themin; Isto funciona.
  6. blindamos

    Today I Learned

    Kaiser, o futebolista que passou 26 anos a enganar toda a gente - DN WWW.DN.PT Carlos Henrique Raposo alimentou uma carreira boémia de futebolista ao longo de 26 anos, sem praticamente ter feito um jogo em nenhum dos vários clubes por onde garante ter passado. Portugal fez parte do roteiro de um trajeto recheado de histórias que agora chegou ao cinema e passa este sábado no festival Porto/Post/Doc. Antes disso, Kaiser, a lenda, falou ao DN Que patrão... 😅
  7. O Taraabt no primeiro ano dele foi um zero redondo, e a partir dai ficou logo queimado pelo o treinador (e aceita-se isso)... Esse treinador continuou nas 3 épocas seguintes! Nas 2 seguintes foi emprestado( foi logo emprestado 2 anos) e jogou e recuperou algum futebol! Não sei qual era a percentagem que o Genova estava a pagar do ordenado. Nesta época que passou não foi emprestado, mas como o treinador que o marcou, continuou, como é obvio não foi opção... e esteve na B com o LAGE!!! Que o trouxe logo com ele depois de subir a A. O Lage parece gostar muito dele e parece que será aposta e faz sentido estar "protegido". Espero que o Taraabt mostre o mesmo empenho e vontade. Recebia 2,3M brutos (com prémio de 232 mil por cada 15 jogos realizados que, obviamente, nunca atingiu) https://www.dn.pt/desporto/benfica/interior/contrato-de-taarabt-divulgado-salarios-e-premios-podem-chegar-a-14-milhoes-5003884.html
  8. Pontos por vitoria. Portugal nos ultimos 15 jogos, ganhou 7, empatou 7 e perdeu 1, enquanto que a Belgica ganhou 12, empatou 1 e perdeu 2.
  9. Ele está lá. Abaixo do R2D2 e 3CPO. 😁
  10. https://www.dn.pt/desportos/interior/presidente-da-fp-de-atletismo-nao-compramos-nenhum-atleta-nem-o-fomos-buscar-9713706.html Presidente da FP de Atletismo: "Não comprámos nenhum atleta, nem o fomos buscar" O ouro conquistado por Nelson Évora nos Europeus de Berlim foi também marcado pelas suas declarações sobre os "naturalizados", e a ironia do visado, o luso-cubano Pablo Pichardo, nas redes sociais a propósito desta conquista Nélson Évora conquistou a medalha de ouro nos Europeus de Ar Livre em Berlim, a única que lhe faltava em grandes competições com um salto de 17,10, depois de já o ter feito em Jogos Olímpicos, Mundiais de Ar Livre e Pista Coberta, e Europeus de Pista Coberta. O momento da celebração fez-se de palavras de satisfação, mas também de recados por parte do atleta, que viu recentemente o luso-cubano Pablo Pichardo bater o seu recorde nacional em maio passado no meeting de Doha com um salto de 17,95. "É importante mudar a mentalidade, fazer os atletas acreditarem que, com trabalho, podem chegar longe. Não passa por comprar atletas, naturalizar atletas... Isso é ridículo!" O desabafo do atleta não foi inocente, numa clara referência ao cubano, que desertou do seu país e em abril de 2017 assinou pelo Benfica. Também Pichardo não deixou passar em claro a conquista do seu agora compatriota e, num tom irónico, escreveu na rede social Instagram: "Sem a minha presença é fácil. Campeãoooo". O próprio relato da prova em que participava Nélson Évora feito pela RTP, na voz do experiente Luís Lopes, acabou por acontecer com muitas críticas à naturalização de Pichardo, que ocorreu em apenas oito meses . Facto que valeu um comunicado por parte do Benfica a acusar a RTP de "falta de isenção" e "xenofobia". Em declarações ao DN, o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Jorge Vieira, negou perentoriamente que tenha sido o organismo a ir buscar o atleta para o naturalizar: "A Federação não comprou nenhum atleta, não fomos nós que o fomos buscar. Há Federações que o fazem, compram atletas, esse não é o nosso caso." Na verdade, o processo foi conduzido pelo Benfica e concluído oito meses após a sua chegada, apoiando-se na lei que permite a naturalização com base nos elevados serviços que o cidadão possa prestar ao país. Pablo Pichardo chegou a estar pré-inscrito para participar nestes Europeus de Berlim como português, mas a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) não autorizou que tal acontecesse, como tem feito com outros casos. Jorge Vieira considera que a partir do momento que o atleta "está naturalizado, pode representar o país" e acredita que isso acontecerá no futuro, assim que a IAAF descongelar a utilização de recentes naturalizados. Porém, para já, trata de lamentar a publicação irónica do cubano a propósito do título de Nélson Évora, e deixa-lhe um conselho. "Quanto às picardias? Dispenso-as completamente. Fiquei desgostoso. Só pode acontecer por parte de um atleta que não conhece a nossa cultura. A opinião é livre mas há limites e ele vai ter de perceber isso." O presidente da Federação faz ainda um aviso à navegação: "Temos uma seleção feita de harmonia e amizade, atletas que aqui esquecem os clubes que representam. Eu não gostaria que num futuro breve exista uma seleção desequilibrada". Os "famosos" naturalizados A questão dos naturalizados no atletismo não é algo novo no nosso país. Algumas das principais referências em Portugal são atletas que enfrentaram este processo de cidadania, porém de forma totalmente diferente e sem a mesma rapidez de Pablo Pichardo. Naide Gomes A antiga atleta do salto em comprimento e pentatlo, nasceu em São Tomé e Príncipe e veio viver para Portugal com 11 anos. A sua participação nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000 ainda foi feita como são tomense, devido a um processo moroso de naturalização que só seria concluído no ano seguinte. Por Portugal, a atleta conquistou várias medalhas em Europeus e Mundiais, o que lhe valeu a condecoração de Oficial da Ordem do Infante D. Henriques Francis Obikwelu O nigeriano chegou a Portugal com apenas 15 anos em 1994 para participar nos Mundial de Juniores onde correu os 400m e as duas provas de estafeta (4x100m e 4x400m) ao serviço do seu país. Após o final da competição, tomou a decisão, juntamente com mais dois colegas, de ficar em Portugal. Após alguns momentos difíceis, voltou ao atletismo através do Belenenses e, mais tarde, Sporting, clube com o qual criou uma ligação muito forte. Nos anos seguintes correu pela Nigéria tornando-se um velocista de classe mundial nas provas de 100 e 200 metros. Contudo, após os Jogos Olímpicos de Sidney 2000, uma lesão afastou-o das pistas e fê-lo sentir-se abandonado pelo seu país de origem. Decide então naturalizar-se português, processo que fica concluído em 2001. Por Portugal, conquista quatro medalhas de ouro e uma de prata em Europeus e uma medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004. Nelson Évora Um dos atletas mais consagrados do atletismo português de sempre é filho de mãe costa-marfinense e pai cabo-verdiano. Nascido em Abidjan, veio para Portugal com o seu pai quando tinha apenas cinco anos. Por ironia do destino, a família Évora fixou-se em Odivelas, no prédio onde vivia João Ganço, antigo recordista nacional de salto em altura e primeiro português a passar os dois metros. O vizinho passou a treinador um dia e foi fazendo crescer Nelson Évora em talento e tamanho. De competição em competição, o atleta do triplo salto decidiu aos 18 anos naturalizar-se português por considerar que este era o país que lhe tinha dado tudo. Haveria de retribuir mais tarde através do triplo salto com inúmeras medalhas, sendo a mais importante de todas o ouro conquistado nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008.
  11. Damn.. Era a lacuna deles. Em dezembro o Durant e o Cousins foram expulsos por se pegarem.
  12. Percebo perfeitamente a decisão, é uma brutalidade de dinheiro! Para mim se respeitar o Benfica como o sempre fez até aqui, terá sempre o meu respeito e admiração.
  13. Petroleo em Alvalade!
  14. Para quem aos 21 foi dado um prognóstico de dois anos de vida. Viveu mais de 50 e construiu uma carreira brilhante. RIP
×
×
  • Create New...

Important Information

We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.